quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Carcaça e Rotulagem

Durante o processamento, a carcaça deve estar identificada segundo as normas oficiais, complementadas com a manutenção da orelha direita junto ao corpo, até à aposição de um carimbo com a marca da entidade certificadora, nos quatro membros, preenchida a ficha de classificação e aposto o rótulo.Estes procedimentos serão executados nos matadouros pelo Organismo Privado de Controlo e Certificação(OPC). A ficha de abate deve conter a seguinte informação:
  • O número da carcaça;
  • A data de abate;
  • Nome do produtor ou seu código;
  • O número de identificação do cabrito que figura na ficha de identificação da cabrada e que corresponde ao número de brinco, aposto na orelha pelo Registo Zootécnico e / ou Livro Genealógico;
  • A classificação da carcaça (segundo as normas em vigor); efectuada pelo matadouro e /ou organização privada de certificação;
  • O peso da carcaça;
  • A aprovação da carcaça para consumo humano.
O duplicado é enviado para o agrupamento de produtores; o triplicado acompanha as carcaças  e o original é conservado pelo Organismo Privado de Controlo e Certificação (OPC).
No rótulo a ser apenso  na região das soldras (no caso de comercialização em carcaça inteira ou meia carcaça), deve conter a seguinte informação:
Face
  • D.O.P. "CABRITO TRANSMONTANO"
  • Nome e endereço do produtor
Verso
  • Local de abate;
  • Data de abate;
  • Data limite para consumo


No caso de comercialização em quartos de carcaça ou noutra porção da carcaça , é obrigatório o acondicionamento e o rótulo deve mencionar na face todas as indicações que foram mencionadas para o rótulo da carcaça  ou meias carcaças, acima descritas e estar de acordo com a legislação de rotulagem em vigor.
Para o produto congelado, o rótulo, para além das indicações mencionadas atrás, deve de forma bem explicita, referir que o produto é congelado.

Sem comentários:

Publicar um comentário